Sexy não é o decote mais ousado, mas sim as costas lisas que aparecem quase que sem querer. Tu não te tornas sexy, não se faz sexy. Não incorporas personagens na intenção de ser sexy. Não se compra certificados ou posturas sexy em lojas. Sexy apesar do radical, nem sempre está relacionado ao sexo. Um pode vir a ser conseqüência do outro, mas não necessariamente. Ou nessa ordem. Atitudes politicamente corretas são sexy. Vulgaridade não. Cueca branca sim. A camisola de algodão pode ser mais sexy do que a cinta liga. O cheiro da loção pós-barba, de roupa seca no sol e sabonete jonhson´s são mais sexy que músculos. Apesar de a tua avó discordar, pêlos no peito não são sexy. Logo, Tony Ramos também não. Mãos são sempre sexy, enquanto que o bumbum nem sempre. E só imaginar cada um deles sujo de graxa. Olhos cerrados do sol, ou pela falta de vista mesmo são sexy. Timidez pode ser sexy. “Bom dia”, “Com licença”, boa educação é sexy. Unhas vermelhas, apesar da intenção e do senso comum, dificilmente são consideradas sexy pelos homens. Bom humor é tão sexy quanto champagne. No entanto que sejam usados em horas certas e com moderação. Ninguém quer sair para jantar com um show humorístico, menos ainda com um membro do AA. E sim, nessas condições, os dois podem ser usados em parceria! Porque o ser humano é assim mesmo, acha sexy o que não tem, o que não é palpável, o arriscado. Um tanto quanto deprimente, eu sei, mas é só colocares a mão na consciência para confirmar. Um cara fazendo compras no supermercado, analisando valor calórico das coisas e levando um bom vinho em seu carrinho pode ser sexy. Esse mesmo homem fica ainda mais sexy quando tenta em vão ajeitar o cabelo da filha na porta da escola. E ele nem precisará ter todos os dentes pra isso. Porque as mulheres são assim, encantam-se com homens que tratam bem os animais, dão moedas para crianças em semáforos e não jogam lixo no chão. Não tente entender, apenas faça. Particularmente, sexy são as atitudes que não têm a intenção de serem sexy. Não são as caras e bocas forçadas que se vêem em fotos. Começando pelas minhas, lógico. Não são rendas e transparências. Nem a morena mais que a loira. Sexy é algo intrínseco. Que geralmente encontra-se em entrelinhas. Claro, pode ser também Angelina Jolie e Justin Timberlake. Mas são também olhares, gestos simples e posturas diante da vida. Sendo assim, desista de forçar a barra. Desencana do batom vermelho que não te cai bem. Ao menos que trabalhes no circo ou estejas tentando conquistar o Bozo. Todas aquelas fantasias que fazem da tua gaveta uma espécie de Guia de Profissões, tu podes até guardar para o próximo Hallowen. Doar para um grupo de teatro, bloco carnavalesco, tanto faz.
Eu sei que sonhas com as tuas havaianas encardidas todas as noites que optas pelo salto fino a fim de ficar mais sexy. Se tu soubesses como esses malditos sapatos tornam-se verdadeiras armas contra ti lá pelas 3 horas da manhã, quando já estás andando feito maratonista em final de prova. Segurando nas paredes, arrastando os dois pés com a cara sofrida, forjando um sorriso para o gatinho e dizendo: Que nada, bobo! Tô ótima, agüento até o sol raiar! Uhul! Não, não! Isso não é sexy. Não mesmo.Então preste atenção e veja bem como é simples… Quantas vezes ele já não mencionou que ficas linda dormindo com a cara enterrada no travesseiro? Ou que aquele vestidindo surrado e manchado de Q-boa que tu fazes a faxina nos sábados é a roupa que deixa mais atraente? E tu aí, já não ouvisses diversas vezes ela cochichar com as amigas ao telefone, enquanto tu lias o jornal, que te acha uma graça de óculos? Ou então nunca percebeu a cara de boba que ela fica toda vez que lambes o pote do danoninho? Então repito: Desista de forçar a barra. A naturalidade sai mais barata e te faz somar pontos. Não cansa e não traz nenhum tipo de frustração. E ainda assim, caso alguma coisa possa vir a dar errado, tu colocas toda a culpa nos teus pais e na educação que eles te deram. A incessante busca termina aqui, quando descobres que o mais sexy de todos és tu sendo tu mesmo.
– Fernanda Ga

Anúncios

tudo errado.

setembro 16, 2008

Este não é mais um texto sobre  amor. É um texto sobre uma pessoa que já amou demais. Uma pessoa que faz tudo errado. Que se desconserta quando alguém fala que gosta dela. Que é contraditória por natureza. Que fala a verdade quando deveria mentir. Que diz que é fiel aos seus sentimentos mas não entende nada sobre fidelidade. Que gosta de um cara mas sai com outro sábado à tarde. Que já chorou por um homem. Que já chorou por alguns homens. Que não tem vergonha de falar o que sente. Uma pessoa na qual o sorriso entrega suas emoções. Cujos lábios movem quando ela pensa. E os olhos não a deixam mentir. Uma cidadã que odeia uando tem que esperar alguém ligar. Odeia mais ainda quando esse alguém não liga. Odeia os homens que têm namorada e ficam ligando pra ela (qualé ein?!). Uma cidadã que adora chocolate. Adora sua própria companhia. Adora não ter mais idade pra brincar de polícia-e-ladrão. Pra fazer joguinho. Adora  ter  que fingir que ela não está afim quando está. Só que essa pessoa faz tudo errado. Ela diz por aí que quer namorar. Mas se esquiva quando seus casos começam a ficar sérios. E só se envolve com os “não-namoráveis”. Os mais galinhas. Os mais baladeiros. E anda dispensando todos os caras com quem ela poderia pensar em fazer planos. Talvez porque, lá no fundo, ela goste de ser solteira. De poder escolher com quem ela vai sair no final de semana. E porque ela ainda não encontrou alguém que faça valer a pena largar tudo isso pra se comprometer a um cara só. Fato é que a pessoa não quer alguém pra chamar de namorado. Ela quer um alguém que ainda não encontrou. E o dia que ela encontrar, ela não vai deixar esse alguém escapar por nada deste mundo. Porque essa pessoa sabe o que é perder o cara que é o amor da sua vida. Sabe o que é fazer tudo errado sempre. Mas, mesmo assim, ela não tem medo de começar tudo de novo. De tentar outra vez. Amar. Incondicionalmente. Viver incondicionalmente. Viver sem fazer planos. Sem querer prever o futuro. Estar do lado de alguém que é o mundo pra ela. Estar do lado da pessoa certa. Aquela única pessoa com quem ela gostaria de estar. Alguém que conhece todos os seus medos. Todos os seus sonhos. Que sonha junto com ela. Alguém por quem ela abriria mão de todas as maravilhas da vida de solteira. E por quem ela acredita que vai fazer tudo certo um dia.

 

“Perdi uma coisa que me era essencial, e que já não é mais. Não me é necessária, assim como se eu tivesse perdido uma terceira perna que até me impossibilitava de andar mas que fazia de mim um tripé estável. Essa terceira perna eu perdi. E voltei a ser uma pessoa que nunca fui. Voltei a ter o que nunca tive: apenas duas pernas. Sei que somente com duas é que posso caminhar. Mas a ausência inútil da terceira me faz falta e me assusta, era ela que fazia de mim uma coisa encontrável por mim mesma, e sem sequer precisar me procurar”.

10/09/2008

setembro 11, 2008

porque eu vivo procurando um motivo pra viver, se a vida parace de mim esquecer. procuro em todos,  mas todos não são você. eu quero apenas viver, se não for pra mim, que seja pra você. mas as vezes parece me ignorar, sem nem ao menos me olhar. me machucando pra veler, atras dos meus sonhos eu vou correr. eu vou me achar, pra mais tarde alguém me perder. se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?  será que esse mundo tem jeito?  esse mundo cheio de preconceito. quando estou só, presa na minha solidão, juntando pedaços de mim que cairam ao chão, juro que as vezes, nem ao menos sei quem sou. talvez eu seja uma tola. que acredita num sonho. na procura de te esquecer, eu fiz brotar uma flor, pra carregar junto ao peito, e crer que esse mundo tem jeito. e como uma princesa sonhadora, sou uma tola, que ainda crê e espera o amor.

parar na linha, e superar.

setembro 10, 2008

todo mundo tem histórias de relacionamentos passados, mesmo aquelas que são tão mal amadas que nunca se envolveram por alguém. vai falar: até elas, ou eles, já gostaram de alguém. a questão é que, muitas dessas histórias, se não todas, viram passado. quantas pessoas sabem definir o momento certo de lutar por alguém, ou parar na linha e SU-PE-RAR? mas sabe, eu não condeno ninguém. só que a vida é cheia de linhas. e chega um momento onde agente tem de traçar uma linha reta sobre o que foi, e o que nunca vai ser. do que se teve (ou nunca se teve de verdade), e o que não se tem. eu, posso dizer que superei. e você? superou de VERDADE?

setembro 8, 2008

é claro que não importa dizer a verdade, as pessoas veem o que elas querem ver. algumas pessoas podem dar um passo para tras e descobrir que elas estavam olhando a mesma grande figura todo o tempo. algumas pessoas podem ver que elas estavam lá o tempo todo. e em seguida, há essas pessoas, os que correm na medida do possivel, para que não precisem olhar para sí. e para mim? eu posso ver claramente agora.

ASSIM COMO VOCÊ!

setembro 6, 2008

Eu só queria um namorado que lesse QUANDO NIETZSCHE CHOROU, jogasse futebol e fosse corinthiano. eu só queria um namorado que fosse homem, mais que fosse um justin. eu só queria um namorado que me entendesse mesmo sendo homem. que entendesse as minhas chatices e a TPM que eu invento. eu só queria um namorado que não assistice filme pornô, que não tivesse ficção por revista de mulher pelada, e que não fosse como todos os homens machistas que existem por ae.

Eu só queria um namorado que não me comparasse com as mulheres arreganhadas na revista com photoshop entre as pernas. eu só queria um namorado que me permitisse ter um metro e setenta e cabelo enrrolado.

Eu só queria um namorado que não tivesse um orkut e um monte de barangas pulando em cima dele. eu só queria um namorado que não tivesse 70 ficantes e 20 ex-namoradas no MSN. EU SÓ QUERIA UM NAMORADO QUE FOSSE SÓ MEU.

Eu só queria saber como são os homens na vida real. eu só queria um namorado do jeito que eu queria, assim, do jeito que você é.

ser forte.

setembro 6, 2008

é tentar te esquecer, mesmo te amando. é ter que falar com você sem olhar nos seus olhos para não transparecer o meu amor. é ver você com outra e ter que ficar calada, é não correr para seus braços e implorar para que fique comigo. é não deixar cair uma lágrima sabendo notícias suas, e se alguém me perguntar ‘ você ainda gosta dele ? ‘, ser forte é responder que não sinto nada por você, mesmo que minha vontade seja gritar para o mundo que ainda te amo. ser forte é chorar escondido e sorrir na sua frente, é sonhar com você e acordar descobrindo que tudo não passou de um sonho, é tentar tirar você da minha cabeça, sabendo que nunca tirarei você do meu coração.

thuthuquinho!

setembro 5, 2008

Lindinho! 😉

SAY, AND I’M YOURS…

setembro 4, 2008

 

TRADUÇÃO:

B: Chuck, não cansou de tentar testruir a minha noite?

C: Olha.. nunca devia ter te abandonado. Soube que tomei a decisão errada assim que seu avião decolou. Eu me distraí o verão inteiro, esperando não sentir isso. Mas eu ainda sinto.

B: E.. ?

C: Eu estava com medo. Com medo de que se ficássemos o verão inteiro juntos, só agente… você iria ver…

B: Ver o que?

C: Eu. Por favor não vá com ele.

B: Porque? Me dê um motivo. E “EU SOU CHUCK BASS” não conta.

C: Porque você não quer.

B: Não é o suficiente.

C: Porque eu não quero também.

B: Não é o suficiente.

C: O que mais é?

B: O motivo verdadeiro pra eu ficar onde estou. E não entrar no carro. Três palavras. Sete letras. Diga,  e eu sou sua.

C: Eu. Eu…

B: Obrigada. Isso era tudo que eu precisava ouvir.

É NO MÍNIMO LIIIIIIIIIIIIIIIINDO! 😉